Uma boa moradia é fundamental para a vida de qualquer pessoa.

Ter um local seguro, confortável, saudável e digno para morar pode transformar e impactar de forma positiva uma família.

A arquitetura social se compromete com a vida humana, visando uma conexão maior com a realidade e com o espaço.

Antes de começar a se aprofundar no conceito, vamos falar de alguns dados importantes:

  • Apenas 7% das famílias no Brasil usaram os serviços de arquitetura.
  • 70% das famílias dizem que usariam os serviços de um profissional e que sabem a importância de contratar um arquiteto.
  • Dos 7% que já usaram o serviço, a maioria é de pessoas de classe A e B.

No entanto, a maioria da população brasileira é da classe C, D e E. Por isso, poucas pessoas conseguem contratar um arquiteto e urbanista.

A arquitetura social veio para mudar isso e possibilitar que pessoas com menos recursos também possam contar com serviços de arquitetos.

Nas próximas linhas, vamos explicar mais do assunto e você vai ver que isso pode impactar o seu projeto diretamente. Confira!

 

Mais alguns dados que você precisa saber

– Um terço da população urbana mundial ainda vive nas favelas ou assentamentos informais.

– Pelo menos 11 milhões das moradias construídas não estão em condições necessárias para uma boa habitação.

– 9 milhões das moradias precisam de 1 serviço de infraestrutura, pelo menos.

– 45% dos brasileiros não têm o esgotamento sanitário necessário; 16,5% da população não é atendida por redes de abastecimento de água.

 

O que é a arquitetura social?

É um estilo de arquitetura que promove a interação e estimula relações saudáveis, tanto nas casas como nas cidades.

A arquitetura social sai do foco puramente estético e se foca em acessibilidade, sustentabilidade, responsabilidade social e respeito aos moradores e usuários de um espaço.

O resultado é uma convivência saudável entre as cidades e os habitantes – tanto em espaços públicos como em suas casas.

Um escritório de arquitetura que trabalha com a população de menor renda e atua com habitações de interesses sociais e moradias populares é um escritório que faz a arquitetura social.

Esse tipo de ação é importante, já que existe a premissa de que o meio molda o comportamento, e a arquitetura social pode ajudar muito nisso, da seguinte maneira:

  • Aumentando a qualidade de vida;
  • Ampliando o potencial transformador da arquitetura no cotidiano;
  • Promovendo boas relações entre o ser humano e o ambiente em que vive;
  • Melhorando a qualidade de interações entre pessoas e locais, trazendo mais felicidade para quem mora ou usa um ambiente.

 

 

Quais são as áreas de atuação mais comuns na arquitetura social?

Reformas

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, o déficit de habitação no Brasil é de 7,7 milhões de moradias.

Por outro lado, 14,7 milhões de casas construídas estão em inadequações graves e precisam urgentemente de reformas.

Como o Governo investe a mais na construção das moradias como o Minha Casa, Minha vida – 243 bilhões entre 2009 e 2015 – as reformas ficam com uma fatia menor do bolo – 39 bilhões entre 2007 e 2015.

Já que a quantidade de construções é bem maior que o número de reformas, o mercado de reformas fica para a iniciativa privada, que tem a arquitetura social como base para criar projetos mais acessíveis financeiramente para as famílias de classes C, D e E.

Do início ao fim do projeto e com condições especiais

A arquitetura social de qualidade e que seja viável economicamente – tanto para os escritórios quanto para os clientes – deve ser feita do início do projeto até o fim.

Isso significa não só pegar uma parte do projeto para fazer, mas passar por todas as etapas da obra, como:

  • Planejamento;
  • Material;
  • Mão de Obra;
  • Financiamento.

Tudo isso faz com que o seu projeto seja mais fácil e viável. Falando nisso…

Faz parte dessa premissa contar com o financiamento do projeto com o escritório. Mas tudo isso depende bastante do seu perfil e necessidade.

Qualificação de mão de obra e parcerias

Escritórios que fazem a Arquitetura Social oferecem opções de pagamentos bacanas para os moradores, mas a questão financeira pode ser ainda melhor se ele contar com parceiros.

É comum que o escritório custeie algumas despesas para que o valor seja acessível para esses clientes, mas eles podem contar também com a ajuda de outras empresas e profissionais que ajudem no projeto.

 

O que um bom projeto social faz?

Os programas de arquitetura social, como o Moradia Digna ou Lab Habitação, buscam:

  • Acesso à moradia de qualidade.
  • Acesso a microcrédito habitacional.
  • Reformas habitacionais.
  • Gestão de condomínios de habitação popular.
  • Água e saneamento.
  • Energia.
  • Empregabilidade na construção civil.
  • Regularização fundiária.
  • Infraestrutura e melhoria do espaço público.
  • Inovação na construção.

Tudo isso para facilitar a moradia para pessoas de baixa renda, oferecendo soluções com taxas acessíveis e desburocratizada.

 

Você sabia que a ArqDrive faz Arquitetura Social?

Se você ainda não leu o nosso artigo sobre moradia digna e responsabilidade social, ainda dá tempo! Ele é importantíssimo para você que quer saber mais sobre esse assunto.

Acreditamos que é possível construir um mundo melhor se cada um fizer a sua parte, e isso é responsabilidade das empresas também.

Por isso, participamos do Moradia Digna, que contribui para a desigualdade social e melhora a vida de pessoas em vulnerabilidade social.

Esse projeto ajuda a criar uma condição de vida confortável, mais digna, com foco na população com menos recursos para esses tipos de projetos.

E aí, você tem o perfil para a Arquitetura Social? Sabe de alguém que precisa? Compartilhe este artigo e nos ajude a alcançar o máximo de pessoas.

 

Escrito por:


Josias Pulquério
CEO | Fundador
ArqDrive – Arquitetura Virtual